projeto Água Limpa

Todos os dias você tem um copo de água limpa para beber e um banheiro para utilizar. Mas, para milhares de famílias ribeirinhas da Amazônia, não há um direito humano essencial: o acesso a saneamento básico, como água limpa, esgoto, coleta de lixo, reciclagem e um melhor controle de doenças provenientes dessas faltas. O rio leva dejetos humanos, óleo de barcos e lixo, tornando a água imprópria para uso.

A dura realidade dos nossos irmãos ribeirinhos há muito tempo constrangia nosso coração, especialmente quando víamos o numero enorme de crianças nas comunidades. Foi então que iniciamos o projeto Água Limpa para os Curumins (crianças em Tupi), levando informação, capacitação para instalação de Unidades de Tratamento de Água e construção de fossas ecológicas nas comunidades ribeirinhas em áreas de difícil acesso.

Asas de Socorro tem sido parceira de varias igrejas locais para desenvolver estas ações. Tem sido precioso ver o envolvimento dos irmãos e as mudanças que tem ocorrido nas comunidades à medida que os projetos são realizados e a Igreja tem a oportunidade de testemunhar às famílias atendidas. Os índices de saúde têm mudado e as pessoas estão livres das doenças que eram causadas pela falta de saneamento básico.

Solução

O Projeto Água limpa estimula a prática de uso contínuo de água com condições potáveis através de porcessos educacionais.

 Nossas ações visam estimular a gestão sustentável dos recursos hídricos, o consumo de água potável, o tratamento de dejetos e resíduos sólidos e, assim, uma melhor qualidade de vida. Trabalhamos com processos educativos, mobilização de grupos e busca de recursos para programas sustentáveis.

As comunidades da região têm nos recebido de forma acolhedora e com muita disposição de trabalhar em parceria. E falando em parceria, a MEAP (Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores), tem sido uma importante parceira nesse Projeto.

 

Benefícios

+1700

Pessoas que serão atendidas

33

Comunidades do Rio Purus

15

Estações de Tratamento de água

Água Limpa

Do rio, a água vai para a caixa d’água, de lá, para um filtro, e do filtro ela sai na torneira. Agora, em vez de ir no rio pegar água, a gente sai de casa e vai na torneirinha. Enche o balde de água limpa. É muito mais fácil. Não precisamos descer e subir o barranco para pegar água, o que era muito cansativo. Agora, pega a água fácil, na torneira, e a água sai filtrada e limpinha, gostosa de se tomar. Você pega um copo grande e toma para matar a sede, com vontade
Jaime Ferreira, 37 anos, 4 filhos é indígena, da etnia Paumari.

Seu envolvimento, orações e apoio financeiro nos ajudam a ir mais longe e mantêm viva a esperança de dias melhores para os irmãos na Amazônia. Precisamos de você!